BTS: IDOL – A união de elementos da arte na preservação da identidade cultural na modernidade

Por: Nathalia Mutz e Catharina Maciel
Revisores: Elinaete Sabóia e Julyanna Dias


BTS no ‘The Tonight starring Jimmy Fallon’
Fonte: HYBE LABELS

No dia 28 de setembro de 2020, o BTS performou a música ‘IDOL’ no programa ‘The Tonight Starring Jimmy Fallon‘, na ‘BTS Week‘, uma semana com cinco apresentações do grupo sul-coreano, transmitidas do dia 28 de setembro a 2 de outubro de 2020. Com um grande impacto visual, regado de demonstrações de orgulho cultural, os membros se apresentaram com vestes tradicionais coreanas à frente dos aposentos do palácio Gyeongbokgung — o maior e mais antigo palácio imperial de Seul —  durante o período de celebração do Chuseok (em coreano 추석) que é um dos feriados mais significativos do país. A produção ocorreu durante a noite com um aspecto cinematográfico, trazendo todos os elementos sul-coreanos como destaque. Dessa forma o BTS fez o que não se espera de atos estrangeiros em programas de TV estadunidenses: reafirmou as suas origens com orgulho.

A performance foi ao ar no mesmo dia que a Billboard anunciou que o grupo sul-coreano atingiu, pela terceira semana, o primeiro lugar nas paradas Billboard HOT 100 com o single ‘Dynamite’. Em simultâneo, foi anunciado a conquista do primeiro lugar na Billboard Global 200 e Billboard Global 200 excl.US, tornando-se assim o primeiro grupo sul-coreano a conquistar o topo das três paradas em sequência. Curiosamente, a música apresentada, ‘IDOL’, é o single do álbum ‘Love Yourself: Answer’, lançado em 2018, que atingiu a primeira posição nas paradas da Billboard 200 no seu ano de estreia, lista que classifica os 200 álbuns e EPs mais vendidos nos Estados Unidos da América, publicado semanalmente pela revista Billboard

Alcançando o topo de um mercado americano com um álbum que o single principal é uma música repleta de elementos culturais tradicionais coreanos, em que foi escolhido desde a letra e instrumentos musicais usados na melodia, até os figurinos e coreografia das suas performances. O grupo foi quebrando barreiras, e surpreendendo o público que não os conhecia.

Ainda em 2018, o BTS também apresentou a música no mesmo programa, ‘The Tonight Show Jimmy Fallon’, e no mesmo ano o grupo recebeu a medalha da ordem de mérito cultural pelo Ministério da Cultura da República da Coreia do Sul. Na época, as campanhas alcançaram o mundo todo, fazendo tanto sucesso que o site do governo municipal de Seul saiu do ar por um tempo, devido ao grande número de acessos simultâneos. Esse momento foi muito importante, não só para o Bangtan, como para a nação, mostrando que incentivar o turismo ajuda a cultura a circular entre as gerações e o dinheiro também, facilitando a entrada de recursos para a preservação dos patrimônios materiais e imateriais.

“A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) define como patrimônio imaterial “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos os indivíduos, reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural.”

— Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan (2014-2021)

Por ser uma nação tão antiga, o patrimônio imaterial da Coreia do Sul é repleto de elementos culturais, onde a arte é uma das melhores e principais formas de manter esse acervo vivo ao passar de gerações, e toda essa vontade de cuidar desse setor é fruto de um passado onde quase tudo se perdeu.

De acordo com o site Wikiqube, em 1890, um protesto chamado “Movimento para derrubar a adoração de deuses” (Misin Tapa Undong, hangul: 미신 타파 운동), em que se tratou de uma série de ataques ao tradicionalismo religioso, ocorrendo agressões fortes ao xamanismo coreano. A questão em jogo desse momento histórico é que, ao longo da história da arte de qualquer país e comunidade, religião e crenças no geral são expressas por vias artísticas, ou seja, esse movimento foi um ataque direto a cultura e toda a ancestralidade de um povo. Isso aconteceu por alguns fatores: influências do ocidente na região; a ocupação japonesa (1910-1945) e o Governo Syngman Rhee (1948-1960), com sua postura anti-xamã.

Sendo assim, depois de superar todos esses ataques, o que restou se encontrava em situação precária. Conseguimos entender as razões e a necessidade de preservar esse patrimônio a ponto de pessoas que conseguem criar esse tipo de arte e mantém as tradições vivas, sendo chamadas de Tesouro Nacional Vivo. O BTS se tornou tão essencial no ramo das artes em sua totalidade, que sua influência faz com que as novas gerações circulem mais entre esses espaços, consumam mais arte e deem mais valor ao patrimônio de seu próprio país. Esses jovens precisam de referências, precisam ter acesso à cultura e para que isso aconteça, as informações e o acesso à arte tem que chegar de uma forma atrativa.

Assim, o Bangtan e sua equipe, conseguiram juntar dois fatores, que parecem extremamente distantes um do outro, para criar uma obra cheia de simbolismo e que marcaria para sempre sua trajetória no mundo da música: ao lançar um single como ‘IDOL’, utilizando gêneros modernos mesclados a elementos ancestrais de comunidades que precisam de apoio para continuarem de pé nas futuras gerações. Representar sua cultura por meio de um produto cultural de fácil dissipação, a música, é um movimento inteligente e efetivo, ainda mais em terras estrangeiras.

Em 2018, o grupo já enfrentava os reflexos da globalização do K-Pop e seu papel nesse fenômeno é extremamente importante. No lugar de tentar buscar uma brecha confortável para se estabelecer no mercado norte-americano sem causar alardes, BTS coloca em ‘IDOL’ toda sua bagagem cultural, relacionando ancestralidade com contemporaneidade, sendo assim, uma forma de renovar os votos da arte e do amor pelas suas raízes, e não permitir que esses movimentos artísticos históricos sejam esquecidos. Talvez seja esse o motivo da escolha de duas etnias representadas na música e nos elementos visuais do MV, que comumente sofrem ataques de esquecimento e embranquecimento no mundo da arte: arte africana e arte asiática em sua essência.

Constantemente, em livros de história da arte, vemos berços artísticos sendo apontados em lugares da Europa, ou até mesmo da América do Norte, mas raramente em continentes da África ou Ásia, sendo que os relatos de expressões artísticas mais antigas do mundo estão nesses dois últimos lugares.

Levando todos esses elementos para as performances que se iniciaram em 2018, vemos a mudança na apresentação em 2020. Em 2018, para promoção do single ‘IDOL’, performaram no mesmo lugar do ‘The Tonight Show’, com vestes coloridas, assim como usaram os ternos no MV de ‘IDOL e é possível notar a semelhança das estampas desses ternos com o famoso Kente, um tecido utilizado por etnias axanti e jejes de Gana – África Ocidental, como uma versão modernizada. Esse tipo de veste é predominantemente colorida, feita com algodão e às vezes com seda, onde na antiguidade era utilizado apenas por reis.

Kente feito á mão, 6 jardas, Gana – África Ocidental | Fonte: Ramsjay Desings
BTS no ‘The Tonight Show Starring Jimmy Fallon’ | Fonte: NBC, Getty Images,  2018
BTS no Good Morning America  | Fonte: ABC, 2018


Na apresentação de ‘IDOL’ de 2020, no ‘The Tonight Show Starring Jimmy Fallon”, no período do Chuseok, o grupo trouxe uma grande produção nos aposentos do palácio de Gyeongbokgung. 

A escolha do Palácio de Gyeongbokgung para a performance foi acompanhada dos hanboks modernos, dando uma combinação perfeita para a noite do período de celebrações de um dos feriados mais importantes do país. O principal palácio da Coreia do Sul é um patrimônio que sobreviveu ao misin, quando sofreu severos danos, incluindo demolição de uma grande parte de sua estrutura.

A sua história está repleta de momentos altos e baixos, mas o fato do espaço ter sido restaurado e preservado, o transformou no ponto principal do turismo na região e serve de palco para o principal ato musical da Coreia do Sul. Na atualidade, faz com que a performance de 2020 seja ainda mais impactante, afinal de contas, estamos falando de um grupo que por muitos momentos de seus oito anos de carreira, sofreu ataques severos e se reergueram todas as vezes.

Mais um ponto marcante na apresentação para dar impacto na obra, jogos de luzes são utilizados em objetos e formas que precisam estar em destaque. Na parte entre o palco e a estrutura do palácio,  pode-se observar vários pontos de luz que iluminam atrás dos membros do grupo, colocando Gyeongbokgung em predominância, o que faz com que ele deixe de ser um mero cenário, para parte do momento. Logo, ao iluminar com diversas cores, em predominância o roxo azulado e o vermelho, uma possível referência as cores da bandeira sul coreana e ao ARMY, a performance torna-se uma homenagem a toda ancestralidade e luta de uma cultura que foi, diversas vezes, queimada, demolida e destruída, mas hoje é um grande exemplo de preservação.

Iluminação no palco | Fonte: BTS: IDOL, The Tonight Show Starring Jimmy Fallon

  Os integrantes do BTS optaram por usar hanboks com detalhes e recortes modernos. Sendo uma tradição por mais de 1.600 anos, as vestes são extremamente importantes na história e cultura da Coreia do Sul, mas antes eram mais vistas em eventos culturais, casamentos, formaturas e outras formalidades. Hoje, a modernização de objetos e elementos culturais auxiliam na perpetuação da cultura entre a antiga e a nova geração.

O hanbok, usado pela nobreza na dinastia Joseon (1392 a 1897), é um traje caracterizado pelas suas cores vibrantes, linhas  simples e ausência de bolsos. Com a entrada de roupas ocidentais no país durante a Guerra da Coreia (1950-53), e com a industrialização nos anos 60 e 70, o traje foi  considerado inadequado para o uso casual e passou a ser utilizado em datas e eventos especiais como os feriados do Seollal (o Ano Novo lunar) e Chuseok, período em que a apresentação foi ao ar. Suas celebrações começaram por conta da “Lua da Colheita”, no 15º dia do 8º mês do calendário lunar.

Este feriado é um dos mais importantes na Coreia do Sul. Atualmente, o feriado é um período para reuniões em família, com agradecimentos por conquistas e zelo em memória dos entes queridos já falecidos. Assim, a apresentação de ‘IDOL’ acontecer durante esse período, juntamente aos trajes tradicionais coreanos, são mais fatores que a torna especial.  Fica ainda mais evidente como o grupo sul-coreano mostra as suas origens, de forma fluída, através de todos os detalhes que envolveram a música e sua performance no programa norte-americano.

Segundo Kim Reul, em entrevista para o The Korea Herald (2021), o designer responsável pela criação das roupas de j-hope, Jimin e SUGA, disse que a verdadeira beleza do hanbok vem de sua linha e de tecidos exclusivos. Em relação a modernização nesses trajes tradicionais, no artigo Wearing hanbok in 2021” da Weverse Magazine (2021), Reul diz que a maneira única como o hanbok flui é linda, então é possível encontrar uma fusão com roupas modernas apenas escolhendo as cores certas e misturando diferentes tecidos e materiais. Na antiguidade, os tecidos eram feitos a partir de fibras da araruta, do cânhamo, algodão e outros a partir da seda extraída do bicho-da-seda. Já as tradicionais cores vibrantes que constituíam as vestes, eram feitas a partir da extração de corantes e essências naturais, como plantas e pétalas de flores.


[Para a performance de ‘IDOL’ realizada no Gyeongbokgung Palace e exibida no ‘The Tonight Show Starring Jimmy Fallon’] “Eu prestei atenção especial em destacar a ‘beleza do tecido’ (…)100% seda é um desafio para trabalhar e enruga-se facilmente, mas parece muito mais estiloso sob as luzes. É por isso que o tecido realmente se destaca quando você o vê sob as luzes do palco”

— Kim Reul, 2021 (Weverse Magazine)


Logo, um dos grandes diferenciais nessa performance foi a escolha do material e das cores, que se destacaram juntamente a iluminação, dando foco aos principais pontos que influenciam na transmissão da mensagem e conceito desejados. Assim, com essas escolhas, os aspectos do hanbok que eram, no passado, considerados inconvenientes tornam-se as próprias razões pelas quais alguns podem escolher usá-los (OH, 2021).
Abaixo, podemos ver os detalhes do tecido escolhido para  j-hope, um tipo de seda chamada de “Chilsaekdan”, que existe em 7 cores diferentes, como disse Kim Reul para o canal AYO (2021).



Detalhe dos trajes de j-hope na performance de ‘IDOL’ no ‘The Tonight Starring Jimmy Fallon’ | Fonte: AYO


Além dos tecidos, no processo de composição, o hanbok possui muitos detalhes que tem significados e simbolismos importantes que atravessam gerações. Para que seja possível entender mais sobre as mensagens através das escolhas dos elementos para a performance, é importante compreender um pouco sobre a constituição dessas vestes. Para os homens os principais elementos eram: jeogori (jaqueta), baji (calça), durumagi (casaco maior), gat (chapéu), enquanto para as mulheres eram o jeogori (jaqueta) com duas fitas que formam o otgoreum (laço), a chima (saia).
Assim, podemos notar outro detalhe nos trajes de j-hope, um acessório chamado de “Sejo-dae”, usado pelos homens durante a dinastia Joseon em que a cor mostra a posição do indivíduo, sendo o vermelho usado pelos oficiais desde a primeira à terceira classificação.



Detalhe nos trajes de j-hope no ‘The Tonight Starring Jimmy Fallon’ (2020) e acessório chamado de “Sejo-dae” | Fonte: HYBE LABELS e Google Arts and Culture – Traditional Clothes by Hanbok Artisans



Além disso, de acordo com o artigo na Weverse Magazine, na performance de ‘IDOL’ no MMA 2018, j-hope, Jin, Jungkook e SUGA usaram ‘Norigae’, e na apresentação no ‘The Tonight Starring Jimmy Fallon’ em 2020, os integrantes também usaram o mesmo acessório. O ‘Norigae’ é um tipo de ornamento usado em uma jaqueta (goreum) ou na cintura de uma saia e simboliza o que eram consideradas fontes de felicidade para as mulheres na época em que eram comumente usadas, como riqueza, honra, ter muitos filhos, eterna juventude e boa sorte (OH, 2021). Existem vários tipos desse ornamento, cada um tem um significado dependendo da quantidade de pendentes, tipos de ornamentos, desenhos, cores e materiais.



Detalhes das roupas de SUGA e Jungkook e diferentes tipos de Norigae | Fonte: HYBE LABELS, British Museum, Brooklyn Museum e Google Arts and Culture


No entanto, o BTS usou ‘Norigae’ em roupas masculinas. Assim como nas escolhas de outros detalhes para a performance, ao fazer este uso, o grupo provoca novas reflexões acerca dos significados de elementos e trajes tradicionais, como Anh Yongje, líder de equipe no Hanbok Advanced Center, disse que ao olhar o traje em ‘IDOL’, pensa no significado de hanbok “como uma forma que enfatiza a identidade do BTS e as coisas que tornaram o BTS possível hoje.”

Outro aspecto importante ao analisar a apresentação, é a dança, um dos pontos mais expressivos da indústria do K-Pop. Assim como no MV, na performance de 2020 no ‘The Tonight Starring Jimmy Fallon’, podemos observar na coreografia movimentos inspirados na Bongsan Talchum, um dos tipos de dança tradicional coreana das máscaras, quando os integrantes abrem seus braços e levantam os ombros com um balanço/salto. Essa dança, muito popular na época Joseon, é caracterizada por batidas emocionantes, movimentos dinâmicos e geralmente executada na Primeira Lua Cheia, Aniversário de Buda, no Oitavo dia do Quarto  mês Lunar, Festival Dano e Chuseok. Ela também é considerada uma propriedade cultural imaterial da Coréia do Sul, e uma das danças de máscara mais representativas do país (existem mais de 12 tipos diferentes de Talchum, dança das máscaras). 





Alguns movimentos da coreografia de ‘IDOL’ inspirados na Bongsan Talchum, no MV e no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon | Fonte: HYBE LABELS e The Tonight Show Starring Jimmy Fallon

Todos os componentes culturais tradicionais empregados em ‘IDOL’, e nessa performance de 2020 em especial, desde a dança até o local do palco (palácio), como também o hanbok, são meios de auto expressão (OH, 2021). A mensagem na letra da música está incorporada nesses elementos e vice-versa. Consequentemente, reverberando e perpetuando a visão do Bangtan. 


“Você pode me chamar de artista
Você pode me chamar de ídolo
Ou você pode me chamar de qualquer coisa
Eu não me importo
Eu me orgulho disso
Eu estou livre(…)
Porque fui eu mesmo o tempo todo
(…)
Você pode apontar o dedo pra mim, eu não me importo
Qualquer razão que você tiver pra me difamar
Eu sei quem sou
Eu sei o que quero”

— IDOL (BTS, 2018)


“(…) com o desejo de se expressar através do estilo, cada indivíduo rompe com as ideias desatualizadas da época e molda o futuro.

— OH, 2021 (Weverse Magazine)


Na verdade não nos importamos se as pessoas nos veem como dentro ou fora do K-Pop. O fato importante é que somos todos coreanos e estamos cantando (…) Então é por isso que dissemos que nosso gênero é apenas BTS. Esse debate é muito importante para a indústria da música, mas não significa muito para nós, membros.”

— RM, 2021 (Rolling Stone)

Por fim, cabe ressaltar que, no ramo da arte existem dois tipos de acervos que movimentam e permitem que a história da arte nunca seja esquecida. O acervo material é onde museus e órgãos governamentais ou não, preservam obras de arte materiais, cada uma com um estilo diferente de cuidado a ser tomado, sendo possível sua retirada para pesquisas e eventuais exposições.

Já no caso do BTS, o que eles fazem é alimentar o acervo imaterial de sua nação, e porque não dizer da arte musical no mundo? Trazer para os tempos atuais algo que foi criado anos atrás, como estilos de dança e palavras, é preservar a arte que não se pode manter presa em uma sala ou em uma matéria. Ela é construída a partir da alma da comunidade, que nunca a deixa morrer, passando de geração para geração. Esses movimentos são essenciais para a preservação de uma história, de uma cultura e de um povo.

“A vida é curta. Arte é para sempre.”

— RM, 2021 (Rolling Stone)




Referências

  • BRAZILKOREA. Palácio Gyeongbokgung (경복궁) – O principal palácio da Coreia. BRAZILKOREA. Disponível em: <https://www.brazilkorea.com.br/palacio-gyeongbokgung/>. Acesso em: 09 de jun. de 2021.
  • BTS 방탄소년단 . IDOL. Produzida por: Pdogg; escrita por: Ali Tamposi, Pdogg, “hitman” Bang, Roman Campolo, Supreme Boi e RM; arranjada por: Supreme Boi e Pdogg. CD digital. Faixa 15. Big Hit Entertainment, 2018. CD digital. Faixa 15 (3min51s).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MUITO MAIS

Capa do álbum do Jungkook do BTS, sem camisa. ele está centralizado com um fundo verde com escritas em dourado e em verde escuro.
Visual
Closer to Golden: Breve análise visual de “Standing Next to You”

Com o lançamento de Golden, o Painel Visual se reuniu para iniciar uma jornada de análise das produções do nosso Golden Maknae em seu primeiro álbum solo. Em “Closer to Golden: Breve análise de ‘Standing Next to You’” vamos explorar as referências visuais e cenográficas do MV de “Standing Next to You”.

Leia Mais