‘BTS, BE’: Conforto e auto reflexão por meio da arte

BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

Catharina Maciel e Nathalia Mutz
Revisado por: Elinaete Sabóia e Julyanna Dias

Em meados de 2020, com o início da pandemia pela Covid-19, o BTS, assim como a maioria das pessoas viram os seus planos serem interrompidos e suas vidas presas a uma rotina confinada em espaços limitados. 

O grupo lançou no dia 20 de novembro de 2020, o álbum BE, possuindo 8 faixas, em que expressam seus pensamentos e sentimentos sobre a situação na qual estavam vivendo, ao mesmo tempo em que trouxeram mensagens de conforto e esperança, passando por temas como: ansiedade, medo, depressão, solidão, frustração, inquietação e tristeza. Segundo Jimin, na Conferência Global de Imprensa do álbum, o objetivo de ‘BE’ é “enviar uma mensagem de conforto para as pessoas e que elas possam se identificar“, enquanto j-hope explicou que o disco fala sobre a vida na faixa dos 20 anos e, por isso, o grupo quis mostrar no aspecto visual como os membros se comportam e se divertem, apesar dos desafios.

“A pandemia interrompeu inesperadamente muitos dos nossos planos originais. No entanto, nos deu uma oportunidade de recuar e focar em nós mesmos, bem como em nossa música. Nós refletimos as emoções que sentimos durante esse período sem precedentes neste álbum. Nós também fomos capazes de dar um passo adiante, assumindo funções na produção geral, como desenvolvimento de conceito, composição e design visual.

— Jimin, 2020 (Fonte: Rolling Stone India)

Incentivando o espectador a explorar a arte e a individualidade, BTS convida as pessoas a refletirem e se auto conhecerem, usando a diversidade da criatividade para compor seus próprios espaços. O álbum traz intimidade e vulnerabilidade, mostrando os membros do grupo com uma participação ampla e ativa na produção, desde a fundação de sua estrutura conceitual até o projeto final.

Quando observa-se a dinâmica do projeto, entendemos que o conceito foi criado para trazer unidade na sua estrutura, a base do projeto, no qual usaram de suas personalidades e criatividade para transformar o espaço de acordo com o que queriam transmitir aos seus fãs. Ao se mostrarem vulneráveis, eles apresentam que uma das únicas escolhas que podemos fazer perante esse estado e à pandemia, é a forma como iremos reagir frente a tantas dúvidas e incertezas. Tudo envolve muitas decisões, escolhas, riscos e emoções intensas. É uma forma especial de dizer ao público que, por mais que estejam nos holofotes, todos estão passando por um problema em comum e ao mesmo tempo buscando conforto e ajuda nos fãs.

Seguindo a ideia de um conceito pessoal, o processo de auto reflexão se iniciou assim que os membros se organizaram em reuniões para refletirem o papel de cada um. Ao analisar suas próprias habilidades e limites, exploraram até onde conseguiam guiar o projeto, tendo decidido que em um dos conceitos fotográficos, cada um iria criar seu próprio conceito, projetando seu próprio “quarto” e representando-se naquele ambiente. Grande parte desse processo foi transmitido desde março de 2020, através de lives em grupo e individuais, além de vídeos registrando momentos relevantes às suas visões, compartilhando com o ARMY suas discussões sobre o desenvolvimento do álbum, desde o planejamento até o layout, passando pelas responsabilidades frente a direção do MV, fotografia, composição, coreografia, design visual, entre outros. Por exemplo, a fonte da capa foi realizada por RM, Jin, Suga e j-hope, que também atuaram na produção e coordenação; o V foi o diretor visual (além disso, ficou responsável pela apresentação do box e materiais do seu conteúdo); Jimin foi o coordenador de projeto e Jungkook foi o diretor do MV.

Tanto no conceito geral do álbum, como também nas músicasLife Goes On e ‘Fly To My Room, o grupo transmite uma mensagem de que é preciso aceitar a situação em que se está vivendo e tentar fazer o possível com o que se tem, seguir a vida, aproveitando pequenos momentos e criando seu próprio universo nos espaços limitados em que se está confinado. Em ‘Fly To My Room‘, eles falam como também estão cansados e se sentindo sufocados por ficarem em casa. Neste caso, essa música fala sobre o desconforto e vontade de sair do quarto, mas ao mesmo tempo trata sobre transformar esse ambiente onde se está vivendo, ressignificando ele ao observar detalhes, objetos que trazem memórias e se tornam especiais.

“Até mesmo a antiga mesa
E luz do sol que também mudou
De repente parecem especiais
Eu estou um pouco menos solitário”

— Fly To My Room (BTS, 2020)

O grupo consegue trazer as sensações que temos ao ouvir suas músicas para seus espaços. Por mais que estejam se sentindo sufocados, como dito anteriormente na canção ‘Fly To My Room’, não existe escapatória, a não ser a optar pela liberdade que se conquista dentro de sua mente, usando a arte.

“Os brinquedos no meu quarto que parecem pessoas
O som da
TV que faz parecer lotado
Como se eu estivesse lá fora no centro da cidade
Seus pensamentos podem mudar outros pensamentos
Aqui, essa é uma viagem que só eu posso aproveitar”

— Fly To My Room (BTS, 2020)

A auto reflexão e a ressignificação do ambiente acontece nos espaços em que estamos vivendo, sendo esses mesmos ambientes nos quais experienciamos diferentes sentimentos, buscando equilíbrio emocional. Estas reflexões são representadas nos quartos criados por cada membro do BTS e nos elementos presentes nas suas composições. Criar o “seu próprio universo” e ver com novos olhos um espaço é ressignificar, através do pensamento, os artefatos que estão ali. Observando-os e também utilizando-os como objeto de reconhecimento, identificação e recurso afetivo através das memórias atreladas a vivências com eles. Esses elementos, podem ser usados como resgate de memórias prazerosas, provocando felicidade e conforto, atuando como suporte para passar pelos momentos difíceis da pandemia. (CARDOSO, 2013)

Estes conceitos conectam-se e são reforçados quando analisamos as escolhas dos integrantes do grupo sul-coreano. Poderiam ter escolhido qualquer espaço, mas são quartos, onde grande parte das pessoas ficam quando querem um lugar para descansar a mente. O quarto de um indivíduo representa quem ele é, pois é onde guarda seus pertences e reúne elementos que significam coisas relevantes na sua jornada, ou esteticamente dizendo, agradáveis ao olhar.

Logo, para que cada integrante conseguisse manifestar suas mensagens e personalidade nas suas criações, a  escolha e organização dos componentes feita por cada um do grupo foi muito importante. Neste texto, abordaremos como todas as escolhas não foram ao acaso, entendendo quais mensagens esses elementos transmitem quando empregados em lugares específicos nas composições, observando o uso de diferentes cores, formas, linhas, espaço e texturas, analisando o emprego de diversos princípios estéticos.

ANÁLISE GERAL DO CONCEITO FOTOGRÁFICO

Ao analisar um produto visual no gênero K-Pop, percebe-se que a simetria é um dos principais elementos da sua estrutura. Seja nos MVs ou em fotografias conceituais, essa técnica é bem explorada pelas equipes criativas, pois permite diversas interpretações. Frequentemente, este princípio é utilizado para causar uma sensação de conforto, equilíbrio e harmonia aos olhos do espectador, refletindo um estado de espírito.

No Período Antigo, matemática e arte andavam de mãos dadas para ensinar os estudantes a aprender sobre números, sendo assim, a simetria também era uma ferramenta de ensino. Essa base perdura até hoje, pois um dos motivos do nosso cérebro é sentir-se confortável com algumas composições, quando o artista opta pelo seu uso.

Em ‘BE’, BTS usa a simetria para comunicar-se com o fandom. Ao fazer uso desse princípio repetidas vezes, de forma direta e descarada, se torna o primeiro e principal elemento de todas as composições das concept photos: room version (tradução, fotos do conceito: versão do quarto).

BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

Os principais objetos que compõem a cena, como os móveis e os tripés dos microfones, foram posicionados minuciosamente da mesma forma, em ambos os lados, respeitando o conceito simétrico proposto. Tudo o que os membros seguram na cena muda a sintonia. Mesmo que a simetria ainda permaneça forte, o BTS agora tem um controle da cena, e nas seguintes fotos, será possível explorar o que cada um quer mostrar, não de sua Persona, mas do seu ‘eu próprio’. Uma forma única e íntima de se comunicar com o ARMY, artisticamente, além da música.

V

Quarto do V – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

No quarto de V, vemos as cores verde e branco, assim como um quadro de uma foto que ele mesmo tirou, e tons de vermelho aplicados no sofá, tapete, e nos violinos posicionados paralelamente de forma simétrica. A cor predominante no quarto é a verde, que é complementar à cor vermelha. Esta última é oposta a cor azul, trazendo destaque ao quadro por causa da proximidade de ambas as cores.

O integrante é constantemente visto usando a cor verde. Ela é considerada a cor da calma e do equilíbrio, associada às energias da natureza, e em alguns lugares, à esperança e perseverança. É um quarto não muito quente e nem frio, mas confortável, é convidativo ao espectador.

As cores no design e em uma composição também podem ser usadas como pontos focais no formato paisagem e na regra dos terços, uma divisão em nove quadrados. Nessa lógica, linhas verticais podem transmitir elegância e imponência, o que notamos no espaço de V, por causa do padrão do papel de parede que guia o olhar verticalmente em conjunto com as linhas verticais criadas pela posição dos violinos em perfeita simetria, o que mantém o foco para o V e o quadro. Essa sofisticação também é vista no acabamento dos vasos, violinos e sofá.

Complementando as linhas, fotos horizontais, formato paisagem, estimulam os olhos a se deslocarem de um lado ao outro, enquanto fotos verticais, formato retrato, fazem com que os olhos se movam para cima e para baixo. Por isso, neste cômodo os violinos, quadro, sofá e o próprio V, recebem mais atenção do que o lustre, as portas e os vasos.

Logo, através do alinhamento dos objetos e do uso da cor, podemos ver  o equilíbrio simétrico e radial, sendo estes, respectivamente, quando um elemento é o espelho do outro, e o segundo quando tudo fica ao redor do ponto central, os objetos ficam igualmente distantes do artista. Com isso, é causado equilíbrio e dinamismo ao mesmo tempo.

Além do emprego da simetria, podemos ver a aplicação do princípio da consistência, uma vez que o violino é repetido mais de uma vez, fazendo assim com que o objetivo principal do princípio seja cumprido, facilitando a identificação e a memorização desse espaço.

A fotografia escolhida para moldura atrás dele, e os quatro violinos, são posicionados de forma bem visível, informando ao espectador que são objetos importantes para o membro, algo que pode ser a base de sua criatividade, ou sua zona de conforto. V fala que escolheu propositalmente a disposição simétrica dos objetos que ficam ao redor dele, todos são destacados. Porém, a disposição desses artefatos no ambiente proporcionam enfoque ao quadro, o único elemento da cor azul no quarto. Mesmo que todos os objetos na sala representem ele, o próprio membro disse que o quadro é o que mais o representa por ser uma fotografia que ele mesmo tirou.

“Eu  pude expressar as duas coisas através do visor, como eu enxergo o mundo e a mim mesmo estando nesse espaço, isso fez com que esse fosse o objeto que mais me representa nesse quarto.”

—V, 2020 (Fonte: Big Hit Entertainment)


JIMIN

Quarto do Jimin – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

A segunda foto divulgada nas mídias do grupo é de Jimin. Da mesma forma que V, ele se encontra perfeitamente no centro da imagem e o elemento principal de seu cômodo são as flores. O tom claro das paredes deixa o ambiente mais aberto, dando uma sensação de limpeza e pureza.

Linhas guias no quarto do Jimin, – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

No quarto do artista, a janela, as cortinas e as flores são elementos que em conjunto criam linhas imaginárias. É possível usar um ponto focal de forma indireta ou direta, em que pode ser cercado de formas ou linhas, chamadas de linhas guias ou linha de desejo, que conduzem o olhar para ele. A posição das flores em ambos os lados, abrem espaço para Jimin, com duas linhas diagonais inferiores que constroem a letra ‘V’, enquanto duas linhas diagonais ascendentes terminam na cabeça de Jimin remetendo a letra ‘A’, formando assim um triângulo (ou você também pode ver um círculo) ao redor de Jimin. As cortinas, levemente inclinadas em uma diagonal, e os marcos na vertical da janela, também levam o olhar para ele.

Essas linhas direcionais são comumente usadas para dar estrutura à uma composição e ajudam a atrair o espectador para os elementos-chave. Na maioria das vezes, essas linhas criam mais impacto e efeito quando surgem nas margens da foto ou quadro.

Outro princípio presente neste ambiente é o contraste. Pode ser criado pela diferença de cores, claro no escuro e vice-versa, espessuras, luz, tamanhos, formas retas ou arredondadas, e texturas. Jimin fez uso desse princípio intencionalmente e explicitamente, como disse no seu áudio, devido ao tom claro das cortinas e paredes que contrastam tanto com o colorido das flores quanto com a cor escura da sua roupa. O forte contraste das vestes pretas de Jimin fazem o membro se destacar, trazendo equilíbrio e harmonia à cena, caso contrário ele se perderia entre a grande quantidade de flores.

“Acho que ao invés de qualquer objeto em particular, é o balanço entre todas as cores no quarto que mostra melhor quem eu sou, a roupa monocromática e as flores coloridas mostram um contraste absoluto. Mas elas estão gritando sua própria existência através deste balanço“.

— Jimin, 2020 (Fonte: Big Hit Entertainment)

Ao longo da história da arte, até os tempos modernos, flores — quando vivas — compõem diversas obras, representam a delicadeza, ou a diversidade de uma natureza, comunicando-se diretamente com a simetria, pois juntos têm a mesma ideia de transmitir conforto e beleza aos olhos.

“Simboliza a beleza, a perfeição, o amor, a glória e a alegria, mas também a entrega a Deus, a evolução espiritual e a própria alma. A flor é também um símbolo feminino, ligado ao elemento água, ao planeta Lua e, consequentemente, à criação, à fertilidade e ao nascimento.”

— Infopedia (2003-2021)

Assim, sabendo que é uma comunicação direta com seus fãs, que já o conhecem por suas inúmeras formas de representar delicadeza e beleza nas suas performances, como em Serendipity, Jimin informa que não é apenas um amante das flores, mas se torna parte delas, que representam sua natureza, graça e até feminilidade.

RM

Quarto do RM – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

Como se o cômodo fosse uma tela em branco, RM carrega consigo o laranja como cor predominante, e outros tons considerados terrosos. Uma composição intencionalmente monocromática, comunicando ao ARMY que RM é uma pessoa de essência simples, que aprecia objetos e formas mínimas. A escolha pelo monocromático pode ser uma relação ao seu projeto solo ‘mono’, uma mixtape cheia de referências íntimas e histórias pessoais.

Conhecido por ser amante da natureza, seu quarto contém materiais, objetos e cores que representam a mesma: esculturas, bonsais, janelas e mesas de madeira. Os bonecos de madeira são esculturas que, além de lembrarem a natureza,  representam a personalidade de RM, pois são do artista KAWS, do qual o rapper gosta muito, já tendo visitado diversas exposições, além de possuir obras dele no seu estúdio.

O uso da madeira e tons quentes combinados com cores claras, sugere um estilo que remete ao design escandinavo, que busca proporcionar calma e conforto. É caracterizado pelo minimalismo, simplicidade, foco na qualidade de artigos artesanais com base na natureza e florestas, linhas retas e orgânicas, espaços claros, tons neutros, objetos de tons quentes como peças de destaque e uso de peças de vidro, madeira e cerâmica.

Mais uma vez vemos fortemente uma simetria calculada, assim como o contraste de cores e linhas guias, que dão ênfase ao elemento-chave da composição. A disposição simétrica em espelho das duas portas, bonecos, janelas e luminárias em conjunto com as linhas retas, que sugerem calma e sensação de um ambiente mais amplo,  direcionam o olhar para o quadro atrás de RM, que é o foco neste quarto.

A cor laranja, forte e quente, se relaciona com agilidade mental, ou seja, a inteligência, qualidade atribuída a RM por ser conhecido pelo seu extenso conhecimento e curiosidade. Assim, controlando a narrativa, ele mostra para o ARMY que sabe como é visto e que está confortável com isso.

Além disso, as cores escolhidas pelo rapper, o laranja no sofá, o marrom das madeiras, e o amarelo do quadro — sendo esta última cor reconhecida por transmitir otimismo, confiança e força emocional —, são todas comumente conhecidas por serem cores de tons quentes, derivadas do vermelho. Provocam associações como calor, natureza, apoio, amabilidade, coragem e conforto, sensações e sentimentos que o membro queria passar.

Eu quis criar um quarto confortável e que não ficasse cansativo pra vocês, um lugar onde você pode passar o tempo todo dia, por isso escolhi esse esquema de cores. Parece aconchegante pra você, ARMY?.”

— RM, 2020 (Big Hit Entertainment)

JUNGKOOK

Quarto do Jungkook – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

Jungkook traz para seu cômodo elementos simples: um sofá de couro, um tapete tipo persa e caixas de som de diversos tamanhos. Para complementar a ideia de um estúdio musical, o membro adiciona espumas de isolamento acústico, tanto no teto quanto na parede de trás, onde a fonte de luz, ao invés de estar no teto, se encontra no chão perto dos alto-falantes.

A composição do membro mais novo do grupo é repleta de camadas, assim como contraste, ambos complementam-se criando movimento. As camadas que formam primeiro, segundo e terceiro plano, possibilitam que o espectador aumente seu senso de profundidade, na qual isso é mostrado pela disposição do próprio Jungkook, do tapete, sofá, relevo da espuma de isolamento acústico no teto, e também devido as caixas de som organizadas, algumas mais pra frente e outras para trás. Este senso de profundidade e movimento, gerado pela formação de camadas, é complementado pelo uso do contraste visto na diferença de tamanho entre as caixas de som. 

Logo, neste quarto, tanto pela quantidade e repetição dos objetos, quanto pelo material, as caixas de som ficam em evidência, estes são os objetos pelo qual o membro disse que mais o representam:

São a personificação de toda minha vida. (…) Caixas de som não são apenas uma forma de distribuir a música, mas também são um veículo de conforto e alegria fornecido pela música e foi por isso que eu as escolhi para serem os objetos que mais me representam.

— Jungkook, 2020 (Big Hit Entertainment)

Na pós-produção do espaço, a fotografia foi escurecida digitalmente, com um tom azulado remetendo à noite, essa diferença pode ser observada no Concept Clip: Room Version (tradução, fotos do conceito: versão do quarto).

Concept Clip: Room version – BTS, BE  | Fonte: BIGHIT Entertainment

Mas o que Jungkook quer comunicar ao ARMY? O que ele acha importante e que o define? Nas paredes, junto aos demais elementos, podemos ver rabiscos feitos de giz, semelhantes a um quadro escolar, informando a todos que o espaço de conforto de Jungkook não é só escuro e isolado, mas, é onde ele explora a sua criatividade, através da música. Essa é uma das formas que o grupo se conecta aos fãs, a música ultrapassa barreiras físicas e até mesmo culturais, um instrumento de conexão e apoio que se mostra ainda mais importante durante a pandemia, como podemos ver na faixa Stayco-escrita por ele.

“Estou pensando em você agora 
Onde quer que você esteja
Não importa
Nós nos conectamos no 7G
Não é o fim do mundo”

— Stay (BTS, 2020)

JIN

Quarto do Jin – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

Jin criou um quarto em tons frios, mas não tão gelado, e a estrutura principal permanece a mesma. A simetria na organização dos elementos não foi respeitada, contudo, ainda andam em par: são duas cortinas, duas mesas, duas portas e duas luminárias.

Conhecido por ter canções solo com letras pessoais e intimistas, o cantor carrega isso nos cristais dispostos por todo o cômodo. Belos, eles representam a transparência e a conexão com o mundo dos sentidos, em algumas culturas, um instrumento de contato com o místico.

Linhas guias no quarto do Jin – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

Também observa-se que as linhas direcionais são diagonais e verticais. As verticais estão nos frisos das cortinas. Já a linha diagonal está entre objetos que parecem ter o mesmo material, é traçada a partir do lustre, passa pela jóia que Jin segura, e termina na luminária sob a mesa no canto inferior esquerdo. As linhas diagonais são dinâmicas e, quando dividem uma composição, fazem com que os pontos focais se movam quase para fora da tela, ampliando o espaço e a composição. Por mais que as linhas verticais das cortinas tornem o espaço mais estreito, a cor branca amplia o ambiente, ao mesmo tempo que a linha diagonal imaginária traz dinamicidade ao espaço.

O uso da cor roxa é de propósito e combina com as jóias espalhadas pelo quarto, tanto pela estética quanto pelo significado delas. No geral, simboliza nobreza e energias cósmicas, por isso é de costume ver magos sendo representados em vestes da cor. Mas para o BTS e ARMY, a cor simboliza união entre os dois. Sendo assim, Jin informa diretamente aos fãs, que a coisa que mais gosta em si mesmo é a beleza de sua transparência ao se expressar, da sua honestidade e como seu mundo é claro e bonito com o ARMY.

“Fiquei imediatamente chocado e impressionado com o visual dessa enorme jóia, mas acabei descobrindo que era eu o tempo todo. (…) Vejam, sentado no meu quarto e brilhando reluzente como uma pedra preciosa.(…) Talvez, ao longo do caminho, vocês tenham se esquecido que cada um é uma pedra preciosa e única? Nunca esqueça de apreciar a si mesmo e sempre lembre-se de que você é uma jóia brilhante, sempre lembre-se de brilhar com confiança assim como eu.

— Jin, 2020 (Fonte: Big Hit Entertainment)

SUGA

Quarto do SUGA –  BTS, BE  | Fonte: BIGHIT Entertainment

Frio, sim, o cômodo de SUGA carrega consigo uma sensação de frio, até mesmo uma certa melancolia, os elementos também andam em par, sendo o espelho e o lustre os que se destacam a certo ponto. Como em todos os quartos anteriores, há uma fonte de luz que se repete, no do rapper, não está centralizada e não tem um par, com exceção do espelho, que a reflete e duplica os objetos, trazendo o conceito de simetria reflexiva.

Neste quarto, as camadas são usadas como hierarquia, organizando uma estrutura para deixar mais simples a visualização e compreensão. SUGA e o sofá são as primeiras coisas que notamos ao olhar a foto pois, nesta composição, a hierarquia é feita pelo uso do azul, dos tons mais escuros, que são os que chamam a atenção primeiro, até os mais claros, levando o olhar ao espelho que foi colocado em uma posição estratégica para que sua imagem fosse refletida, ou seja, representando a auto reflexão e autoconhecimento.

No espaço artístico, o espelho é símbolo de reflexão da mesma forma, onde o autor explora o outro lado, como SUGA costuma fazer em suas canções. Ele comunica ao ARMY, que abraça quem ele é, que seus tons frios são parte dele, e a autorreflexão é importante para seu processo criativo, por isso, SUGA nos apresenta todos esses elementos.

“O destaque desse quarto é o espelho. Espelho é um objeto especial, ele mostra o seu reflexo, fazendo com que você saiba da sua existência no “aqui” e no “agora”

— SUGA, 2020 (Big Hit Entertainment)

A cor azul, no ramo da arte, costuma ser utilizada para representar o céu, o mar e sua profundidade, significando autoconhecimento, reflexão, lealdade e honestidade consigo, mas o excesso dela pode causar uma sensação de frieza, por ser a cor mais fria dos tons frios. Talvez SUGA queira demonstrar que, ao contrário do que as pessoas pensam, não se ofende quando o chamam de frio, e na verdade seu comportamento é mal interpretado. Nesse cenário, o azul simboliza sua inteligência, profundidade e seu intelecto.

Vários tons diferentes de azul foram usados nesse quarto, porque a frieza dessa combinação perfeita do branco e azul transmite um charme inigualável de um quarto adornado puramente no tempo. Há um suave azul em tom pastel, um intenso veludo azul e um azul profundo como o mar de Jeju.

— SUGA, 2020 (Big Hit Entertainment)

J-HOPE

Quarto do J-Hope – BTS, BE | Fonte: BIGHIT Entertainment

Mesmo que j-hope fale sobre sentimentos de ansiedade e incerteza nas músicas do álbum, como ele disse, o rapper tenta expressar isso de uma forma bonita e divertida, como podemos notar na faixa Dis-ease. Na sua entrevista para a Weverse Magazine, ele comentou que embora o tema da música seja pesado, a justaposição entre os sentimentos, a batida e a letra o agrada, “quando o tema se une a batida, parece que a música está tentando se superar e se manter positiva”.

O bom da música é que posso dizer o que estou pensando, mesmo sentindo tristeza ou depressão, de maneiras lindas

— j-hope, 2020 (Weverse Magazine)

É essa postura e características pelo qual é conhecido, sempre alegre e com um sorriso no rosto, que vemos na composição do quarto de j-hope. Esses traços são representados na explosão das cores vibrantes usadas no ambiente, o azul, próximo ao ciano, laranja, e rosa, que transmitem esse estado de espírito. Além disso, repara-se  estas características sendo representadas na aplicação do azul, laranja e rosa nos pôsteres nas paredes, sofá e na parede do fundo, do mesmo modo que percebe-se o foco em um elemento que o membro do BTS gosta, usa muito e faz parte do seu estilo e personalidade, que são os tênis.

Ok, levante-se mais uma vez
É manhã de novo, você precisa viver hoje
Vamos lá, mais uma noite
Eu não sei o que vai acontecer no final, ay
Não há noite eterna
Eu ficarei mais forte
Fogos de artifício explodem
Eu nunca vou desaparecer
(…)
Todos os dias eu me conforto

(…)
Vamos tentar curar todos com calma
Minha doença
Do-do-do-do-doença
Jogue o medo fora
Me-me-me-me-medo”

—  Dis-ease (BTS, 2020)

Em seu quarto, j-hope escolheu duas cores complementares. O azul, no balcão que apoia os pares de sapato, se aproxima do ciano que é complementar ao laranja, cor que fica logo acima. A composição é agradável ao olhar, as linhas verticais e horizontais conversam bem entre si.

Ademais, percebemos mais uma vez a aplicação do princípio da simetria, os objetos são posicionados simetricamente espelhados, como os dois abajures e até mesmo os pés de j-hope. Além disso, as linhas horizontais e verticais, as quais já explicamos anteriormente, juntas criam uma combinação harmoniosa e guiam o olhar do observador por todo o quarto. Tanto as linhas, quanto o contraste de cores entre o azul e laranja, trazem atenção ao centro da imagem, colocando os tênis como um dos objetos-chave.

No ambiente, o princípio da harmonia é reforçado inúmeras vezes através do emprego de outros princípios também. Esse princípio trata-se sobre encontrar equilíbrio juntando diferentes elementos e ainda assim criando uma unidade, todos precisam funcionar juntos e desempenham um papel específico na composição, nada é por acaso. Logo, ao visualizar a foto isso é nitidamente perceptível e combina não só com a essência do rapper, como até mesmo com o estilo dele de se vestir. O emprego de elementos distintos que parecem muito diferentes entre si e aleatórios, mas que sabendo combiná-los e equilibrá-los, formam uma unidade e composição marcante, bonita e agradável.

Sendo um homem que nasceu nos anos noventa e alguém que abraça bem o estilo da época, ele traz consigo referências de seu passado como material de trabalho e fonte de conforto. Podemos perceber esse estilo no ambiente, pois o sofá de plástico cor de rosa foi um elemento muito usado nos anos 90, mesmo que por pouco tempo, e era muito comum entrar no quarto de uma criança ou adolescente da época e ver pôsters, fotos e recortes colados na parede, registros de momentos e gostos musicais da pessoa.

J-hope é conhecido por sua personalidade colorida e estridente, características representadas na sua escolha para os elementos deste quarto. Desse modo, o rapper, em conjunto com os componentes neste ambiente, mostra ao ARMY que tem orgulho de sua origem, da época em que nasceu, e que tudo o que passou formou quem ele é.

Por último, a escolha dos membros por produzirem o próprio álbum pode não parecer ser um movimento grandioso, mas se tratando da indústria do K-Pop, é algo que ocorre fora do padrão. Uma grande parcela dos artistas que trabalham no ramo costumam deixar por conta de suas respectivas empresas toda a parte criativa que envolve a divulgação de suas músicas. Por isso, este projeto ganhou tanta atenção do público e foi considerado um carinho, tanto para o fandom quanto para o BTS, que mais uma vez, nada contra a maré a certo ponto.

Mergulhando em um oceano de sentimentos, BEé um álbum em que o BTS compartilha livremente suas reflexões e angústias, ao mesmo tempo que traz conforto e esperança. Assim como nas músicas do álbum, ao abrirem as portas dos seus quartos, os sete membros fazem um convite para o espectador entrar, explorar e fazer a mente navegar pelos espaços, seguindo o caminho das linhas, luz e contraste de cada elemento, incentivando a visita a ser criativa, buscar nos cômodos algo em comum com os membros.

Com BE’, o BTS mostra como viajar dentro do seu próprio quarto, da sua própria mente, já que no momento em que foi lançado, não era possível explorar o lado de fora. Um jeito artístico e carinhoso de declarar que nossas mentes são livres para pensar, criar e sonhar.

“Eu deito na minha cama
Esse é o lugar mais seguro
Felicidade, tristeza e qualquer outra emoção
São todas aceitas nesse lugar
(…)
Devemos sair? Me deixe voar para o meu
Abaixe seus olhos, vamos para qualquer lugar, zoom
Comigo agora, me deixe voar para o meu
Me tire da minha tristezaE agora estou me sentindo novo em folha”

—  Fly To My Room (BTS, 2020)

Referências

  • AIDAR, Laura. Cores análogas. Toda matéria. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/cores-analogas/>. Acesso em: 12 de maio de 2021.
  • 방탄소년단 (BTS). Dis-ease . Produzida por: Brasstracks escrita por:  J-Hope, Ivan Jackson, GHSTLOOP, RM, Pdogg, SUGA, Jimin e Randy Runyon; arranjada por: RM, SUGA, J-Hope e Pdogg. CD digital. Faixa 06. Big Hit Entertainment, 2020. CD digital. Faixa 06 .
  • 방탄소년단 (BTS). Dis-ease (English Translation). Genius, [s.d.]. Disponível em:<https://genius.com/Genius-english-translations-bts-dis-ease-english-translation-lyrics>. Acesso em: 11 de maio de 2021.
  • 방탄소년단 (BTS). Fly to my room . Produzida por: Cosmo’s Midnight; escrita por:  Cosmo’s Midnight, Joe Femi Griffith, RM, SUGA e J-Hope; arranjada por: SUGA, J-Hope e Pdogg. CD digital. Faixa 02. Big Hit Entertainment, 2020. CD digital. Faixa 02.
  • 방탄소년단 (BTS). Fly to my room (English Translation). Genius, [s.d.]. Disponível em: <https://genius.com/Genius-english-translations-bts-fly-to-my-room-english-translation-lyrics>. Acesso em: 11 de maio de 2021.
  • 방탄소년단 (BTS). Life goes on. Produzida por: Pdogg escrita por: J-Hope, SUGA, Antonina Armato, Chris James Brenner, Ruuth, RM e Pdogg; arranjada por: RM e Pdogg. CD digital. Faixa 01. Big Hit Entertainment, 2020. CD digital. Faixa 01.
  • 방탄소년단 (BTS). Life goes on (English Translation). Genius, [s.d.]. Disponível em: <https://genius.com/Genius-english-translations-bts-life-goes-on-english-translation-lyrics >. Acesso em: 11 de maio de 2021.
  • BIGHIT. BE. Disponível em: <https://ibighit.com/bts/eng/discography/detail/be.php>. Acesso em: 10 de maio de 2021.
  • BUTLER, Jill; HOLDEN, Kritina; LIDWELL, William. Princípios universais do design; Tradução: Francisco Araújo da Costa. Porto Alegre. Bookman, 2010.
  • CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo / Rafael Cardoso. São Paulo: Cosac Naify, 2013
  • CHAKRABORTY, Riddhi. BTS: The Rolling Stone Interview. Rolling Stone India. Disponível em: <https://rollingstoneindia.com/bts-the-rolling-stone-interview/>. Acesso em: 11 de maio de 2021.
  • DA SILVA, Glauber Vilvert; OLIARI, Deivi Eduardo. Cromatizando: a influência e aplicação da cor como signo visual na cultura e na promoção de vendas. Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI, Indaial – SC. XXXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Manaus, AM , 2013.
  • HELLER, Eva. A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão. São Paulo. G. Gilli, Ltda, 2004.
  • INFOPEDIA. Flor (simbologia). Porto Editora, 2003-2021. Disponível em: <https://www.infopedia.pt/$flor-(simbologia)>. Acesso em: 12 de maio de 2021.
  • KANG, Myungsok. Interview: J-Hope “Even just one, single love is beautiful, but we’re getting love from all over the world.” Weverse Magazine. Disponível em: <https://magazine.weverse.io/bridge/en/57>. Acesso em: 11 de maio de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MUITO MAIS

Bangtan Universe
A Narrativa Visual Na Linguagem Cinematográfica De Matrix No MV N.O do BTS

Acerca de algumas discrepâncias históricas, que não nos parecem estar de acordo com os princípios que tanto falamos e ouvimos em nosso meio social, devemos manter nossas dúvidas guardadas dentro de uma prateleira e esperar elas serem reveladas? Ou ainda devemos manter um senso crítico e questionador, que para uma sociedade moralista, o seu posicionamento seja subjugado como “rebelde e imprudente”?

Leia Mais
Bangtan Universe
Os sonhos de resistência e a Revolução dos Bichos contra as imposições coletivas

Em suma, “A revolução dos bichos” faz críticas à regimes totalitários e aponta a hipocrisia dos governantes que burlam as regras para benefício próprio. Observa-se que o livro demonstra os jogos de poder dos porcos, critica a censura e a manipulação das massas que ocorre com os animais. A educação mostra-se como um fator determinante na sociedade do livro, pois auxilia na compreensão da política e traz mais oportunidades.  

Leia Mais